Descubra o mundo verde que existe perto de você.

Provavelmente você já deve ter conhecido os parques e praças que a sua cidade oferece. Porém, não estamos falando daquelas praças onde junta todo mundo no final de semana pra ficar olhando os conhecidos que tem carros, andarem em círculos na volta da quadra. Falamos daquelas que têm árvores, passarinhos, borboletas e nos afastam um pouquinho justamente dos carros e dos barulhos da cidade.

Aqui em Porto Alegre, por exemplo, temos alguns parques no meio da cidade que por serem tão grandes até conseguimos pontos de silêncio e um contato mais profundo com a natureza, como é o caso do Moinhos de Vento e Redenção. A bióloga Jaqueline Lessa Maciel no livro Trilhando os Parques de Porto Alegre (#ficaadica!) oferece sugestões super interessantes para explorarmos os principais parques desta cidade.

Contudo, ainda existe locais onde o contato com a natureza é mais profundo, lá, você não apenas terá contato com qualquer natureza, mas com uma natureza nativa, quase selvagem. A dica são as Unidades de Conservação Ambiental, em Porto Alegre temos cinco, aconselhamos você a conhecer o Parque Natural do Morro do Osso que possui uma vista panorâmica bem legal da cidade ou a Reserva Biológica do Lami onde o contato com o Lago Guaíba pode garantir um Pôr do Sol incrível!

Se você não mora em Porto Alegre, não se preocupe, pode entrar em contato com a Secretaria do Meio Ambiente da sua cidade e descobrir opções similares perto da sua cidade.

Lembrem-se esses locais são refúgios naturais, é nossa obrigação preservá-los!

Nesse país rico em biodiversidade que é o Brasil, sempre haverá um refúgio onde a natureza se preserva e nós, amantes dela, podemos estar em paz para buscar momentos de tranquilidade, colocar os pés na terra e respirar um ar mais leve.

Faça essa experiência, encontre um local assim, retire os calçados, sente-se no chão ou deite-se na grama, feche seus olhos, sinta sua respiração, conecte consigo, com os sons do ambiente, com a temperatura do dia, preste atenção no seu corpo e mente interagindo com o que há em sua volta.

Não se preocupe com o tempo, com quantos minutos ficará ali, apenas fique! Relaxe! Deixe os pensamentos fluírem, irem e virem. Pense em tudo, não pense em nada, apenas exista livremente como uma árvore que balança conduzida pelo vento.

Bons cultivos!

 

 

Anúncios

Dicas para um final de semana em meio a natureza.

O contato com a natureza pode fazer uma revolução positiva na sua vida.

A forma como a nossa sociedade vem organizando as cidades substituindo elementos da natureza por concreto, asfalto, aço, plástico, entre outros materiais artificiais que nos afastam do contato com plantas, animais, rochas, solo, chuva tem trazido além de sérios problemas ambientais, severos problemas a nossa saúde.

Richard Louv no seu livro A Última Criança na Natureza (#ficaadica!) chega a propor que atualmente algumas pessoas possam estar sofrendo do que ele chama de Transtorno de Déficit de Natureza. Esse transtorno ocorre justamente pela falta da imersão humana a ambientes naturais como matas, praias, campos ou até mesmo parques, praças e quintais arborizados.

Alguns sintomas são ansiedade, irritabilidade e stress. Inclusive, podendo desdobrar para patologias mais severas como Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade e Depressão. Além da Obesidade que pode surgir a partir de compulsões alimentares e do sedentarismo devido à falta de mobilidade física em ambientes tão automatizados nos quais muitas vezes apertar um botão resolve sua vida.

É pensando nisso que o Quintal Urbano vai a partir desse mês, além de dar dicas de cultivo, oferecer também alternativas super legais para você passar momentos em meio à natureza com pessoas especiais ou até mesmo sozinho. Pois o contato com a natureza é também uma forma de meditação.

Prestar atenção no que há em nossa volta, na árvore que balança com o vento, no pássaro que canta, na terra úmida, nas cores da flor, no aqui e agora, respirar…

Mindfulness meus caros!

Fiquem ligados no nosso blog e bons cultivos!

Qual será a cultivar do mês de Novembro?

 

Acertou quem pensou no Tomate, um dos símbolos da culinária italiana!

 

Lá conhecido como Pomodoro ou pomi d’ oro “maçã dourada”, o melhor amigo do spaghetti, da pizza e de tantas outras pastas dessa rica cultura não é de origem italiana, tampouco europeia. Nosso querido vermelhinho tem sua origem na região da Cordilheira dos Andes aqui na América do Sul. Existe uma crença antiga daqueles povos de que quem consumir suas sementes será agraciado com poderes de adivinhação.

Se é fato que o Tomate nos confere tais poderes, a ciência ainda não conseguiu provar. Todavia, que ele é rico em Licopeno (substancia que previne o câncer de próstata) entre outros diversos nutrientes isso ela garante!

Além disso, você sabia que esse delicioso e saudável cultivar que vai bem como um belo molho, recheado e assado ao forno ou fatiado cru na salada só se deixa ser descoberto em todos os seus aromas e perfumes por aqueles que o consumirem colhido maduro direto do pé?

Infelizmente, o Tomate que compramos na maioria dos supermercados ou mercearias precisa ser colhido ainda verde. Isso ocorre porque no tempo entre a colheita e a venda ele continua amadurecendo. Assim, se for colhido maduro provavelmente ira apodrecer antes mesmo que você o consuma.

Está aí um belo motivo para você iniciar o cultivo dos seus próprios Tomates, pois eles podem crescer até mesmo dentro de um apartamento!  Assim como o sabor que é mais intenso quando colhido maduro, os nutrientes também atingem níveis maiores.

Do pequenino Cereja, ao graúdo Caqui todas variedades cultivadas a partir dos mesmos ancestrais, ele pertence ao Gênero Solanum e por mais que lhe pareça estranho é um primo bem próximo da Batata.

Quer saber mais sobre dicas de cultivo, gastronomia, saúde entre outras curiosidades legais do Tomate? Então fique ligado no nosso blog que novembro é o mês dele!

Bons cultivos!

A cultivar do mês dança no ritmo do samba!

Para abrirmos nosso primeiro mês de experiências de cultivo iremos explorar o mundo da Couve. Ela que acompanha um belo samba, junto de uma boa feijoada brasileira, tem se tornado cada vez mais popular por ser um símbolo da boa saúde entre os apreciadores do famoso suco verde. O que pouca gente sabe é que este vegetal vem sendo cultivado desde a antiguidade por turcos e gregos em regiões do mediterrâneo.

Derivada de um ancestral selvagem com folhas mais estreitas, a Couve possuí uma diversidade de variedades. Existem Couves com folhas largas, outras com folhas menores, escuras, claras, com caule alto, baixo, enfim, tem Couve pra todos os gostos.

A Couve é um alimento repleto de vitaminas e minerais. Podemos citar as vitaminas C, B-3, B-5, B-6. Sobre os minerais, ela possui ferro, fósforo, cálcio, cobre, manganês, selênio, potássio e zinco. É importante salientar que o ferro contido na couve é diferente do ferro contido na carne, por isso, embora este alimento seja muito saudável, não deve ser comparado à carne quando o assunto é este mineral.

Devido a grande variedade de sais minerais seu suco pode substituir as tradicionais bebidas isotônicas. Ela também é um importante antioxidante e devido à concentração de vitamina C fortalece o sistema imunitário. É um alimento rico em fibras, o que auxilia o sistema digestório nas suas funções.

Vai na Couve que a saúde agradece!